quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Estado Islâmico confirma execução de jornalista síria acusada de espionagem



A jornalista Ruqia Hassan, de 30 anos, foi assassinada pelo grupo radical Estado Islâmico (EI). A execução ocorreu em setembro do ano passado, mas foi confirmada apenas na última quarta-feira (6/1). Ela escrevia sobre o cotidiano da cidade síria de Raqqa, região base dos jihadistas. 

Segundo o jornal O Globo, a repórter foi acusada pelo grupo de atuar como uma espiã. Ela se apresentava como Nissan Ibrahin e usava as redes sociais para relatar como era a vida da população da cidade em meio aos ataques do EI. 

Não há confirmação sobre quando a profissional foi sequestrada. A última publicação dela foi em 21 de julho de 2015. “Vá em frente e cortem a internet, nossos pombos mensageiros não vão reclamar”, escreveu.

O ativista sírio Abu Mohammed disse ainda que as últimas palavras da repórter foram: “Estou em Raqqa e recebi ameaças de morte. Quando o EI me prender e me matar, não tem problema... porque é melhor do que (viver) humilhada por eles”.

Nenhum comentário:
Escreva comentários

REGRAS DE POSTAR SEUS COMENTÁRIOS;

- Comentários que agredirem outras pessoas serão excluidos
- Deixe sua opinião e evite palavras de baixos escalão

Seguidores

Acessos

Postagens