quarta-feira, 15 de março de 2017

Trote violento: 24º Batalhão permanece em silêncio após sessão de tortura contra recruta



Parentes de um jovem recruta tomaram a decisão de levar a público a prática de um trote violento, que segundo eles, teria acontecido no dia 21 do mês passado no 24º Batalhão de Infantaria, no bairro do João Paulo, em São Luís.

Pela imagens apresentadas por um dos familiares, as marcas pelo corpo do jovem de 19 anos (confira foto acima), tratam-se de uma sessão violente de tortura sofrida no interior do Batalhão.

A vítima teria recebido a notícia que seria incorporado ao batalhão após se destacar no serviço militar obrigatório e, como manda a “tradição”, teria que passar por uma espécie de trote. 

A “brincadeira” procedeu da seguinte forma: O recruta foi levado para dentro do alojamento, jogado no interior de um armário, fechado e sacudido de um lado para o outro. Além de ser taxado de “mocinha”, para completar a tortura, teve que apanhar de facão na costa e cabeça, e por fim, acreditem, até levar mordidas nas nádegas.

A família conta que o jovem está muito abalado, o episódio foi comunicado aos superiores, que fazem vista grossa para o problema. Até o momento a cúpula do 24º Batalhão permanece calada diante da denúncia.

Nenhum comentário:
Escreva comentários

REGRAS DE POSTAR SEUS COMENTÁRIOS;

- Comentários que agredirem outras pessoas serão excluidos
- Deixe sua opinião e evite palavras de baixos escalão

Seguidores

Acessos

Postagens