terça-feira, 1 de agosto de 2017

A VERDADE É DURA: A ESQUERDA APOIA A DITADURA (E SEMPRE APOIOU)



comentei aqui como é incompleto, para não dizer hipócrita, a turma da esquerda que “até” critica Maduro, mas poupa o socialismo que produziu o ditador venezuelano. Mas há, claro, aqueles ainda piores, que não resolveram abandonar a canoa furada, que ainda defendem o regime de Maduro. É o caso do PT e do PSOL. Para Joel Pinheiro da Fonseca, esse é um bom teste de caráter na política brasileira:

A Venezuela serve como um teste de caráter na política brasileira. Se alguém defende o regime Maduro, pode ter certeza: essa pessoa nutre as piores e menos democráticas intenções para o Brasil.

Maduro preside a fase terminal do chavismo, num espetáculo deprimente de pauperização, degeneração institucional e violência. Com inflação que deve superar os 1000% este ano, produção em queda livre, pobreza em ascensão, falta de alimentos, emigração em massa e dezenas de opositores mortos, a última desculpa para os abusos do governo cai por terra: não é pelo social; é pelo poder.


É lamentável ver partidos como PT e PSOL apoiando o governo Maduro. O PT é o cabeça da corrupção nacional. O PSOL é, até onde sabemos, limpo nesse front. Agora ambos se mostram unidos num intento ainda pior que a corrupção: a aspiração totalitária, ou seja, o uso oportunista das massas para alavancar o poder total de um pequeno grupo.

Tudo certo, mas uma palavrinha me incomodou bastante ali: “agora”. Quer dizer que agora ambos, PT e PSOL, mostram-se unidos num intento ainda pior que a corrupção, o totalitarismo? E antes? Não? Mas o PT e o PSOL sempre defenderam o totalitarismo! Eram e são defensores do regime cubano, que já é totalitário e tirânico há mais de meio século! Como assim, agora?!

Quem se “informa” em história assistindo “Os dias eram assim” talvez pense que os comunistas lutavam pela democracia contra os terríveis ditadores militares, mas qualquer pessoa minimamente culta sabe que essa narrativa é um embuste, um completo engodo, uma empulhação grosseira. Leandro Ruschel colocou os pingos nos is e lembrou que o PT, inclusive, ajudou a criar esse regime, o mesmo que tentava impor ao Brasil:

Só para deixar claro, não foi apenas apoio que a esquerda brasileiro deu ao regime totalitário na Venezuela.

Ela criou tal regime!

O próprio Lula, o grande chefe da quadrilha petista, em discurso oficial no Palácio do Planalto, contou que foi ele e Fidel Castro, em reunião do Foro de São Paulo, que decidiram unir a esquerda latina com o propósito de colocar Chávez no poder.

Desde então, tanto o governo Lula quanto o governo Dilma trataram Chávez e depois Maduro com oferta de vantagens ilegais, bancadas pelo contribuinte brasileiro, como a Refinaria de Abreu e Lima, a oferta de crédito por parte do BNDES para obras da Odebrecht no país, entre outras maracutaias.

Mais, o partido usou peso do Brasil na região para impedir qualquer pressão sobre o regime que já tomava medidas totalitárias, além de ter contrabandeado a Venezuela para o Mercosul, ao arrepio da sua cláusula democrática.

O PT mandou marqueteiros seus para as campanhas chavistas, além de Lula ter participado até mesmo como garoto propaganda em campanhas.

PCdoB, PSOL e PDT também foram aliados de primeira hora do regime.

Esses bandidos tem sangue nas mãos, de milhões de venezuelanos que estão passando fome e de milhares de jovens que estão sendo presos, torturados e mortos por simplesmente protestar contra uma ditadura.

A verdade é dura, a esquerda apoia a ditadura.

Sim, a verdade é dura, mas muitos preferem a versão soft, a ilusão, a mentira. E nessa narrativa falsa, a esquerda é democrática, e alguns se desviam no caminho. Como se o Foro de São Paulo não existisse. Como se Cuba não fosse a inspiração dessa turma há décadas. Como se o PT não tivesse tentado replicar no Brasil o regime chavista. Como se o PSOL não tivesse, entre seus fundadores, até terrorista comunista. Como se, enfim, a extrema-esquerda “agora” tivesse decepcionado seus seguidores.

Não esperem de mim essa concessão a quem sempre lutou contra a democracia e a liberdade. A esquerda radical é ditatorial por essência, por vocação, por ideologia. Quem ainda não entendeu isso, não entendeu muita coisa de política. Quando acusam Bolsonaro de defender ditadores e tortura, o fazem diante de um espelho, alimentando todo seu cinismo. São filhotes de Lenin: acusam os outros daquilo que são e fazem. A esquerda apoia a ditadura. E sempre apoiou.

Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:
Escreva comentários

REGRAS DE POSTAR SEUS COMENTÁRIOS;

- Comentários que agredirem outras pessoas serão excluidos
- Deixe sua opinião e evite palavras de baixos escalão

Seguidores

Acessos

Postagens